Programa

Programa
Imagem: redagricola.com

Das 400 inscrições, 12% são de agtechs do Brasil. Ação oferece oportunidade de mentoria e aceleração para as startups e médias empresas do agronegócio.

Após dois meses de inscrições, o programa "AgriFoodTech Latam 2021", promovido pela Glocal, a primeira aceleradora latino-americana para startups e médias empresas do agronegócio, reuniu 400 inscrições, sendo 50 brasileiras. A ação é apoiada pela Agrofy, maior marketplace do agronegócio brasileiro, e é importante para incentivar o desenvolvimento das Agtechs no Brasil.

"O agronegócio é um dos pilares da economia brasileira e existem diversas startups com ótimas ideias e grande potencial, que podem contribuir com o setor e se tornar, assim como a Agrofy, uma peça chave nos negócios dos produtores rurais", explica Nadege Saad, Chief Strategy Officer da Agrofy. "Mas muitas delas ainda dependem de aceleração para que possam fazer parte desse ecossistema, que ainda precisa se desenvolver", completa.

Inscreveram-se na o programa "AgriFoodTech Latam 2021" mais de 400 startups de toda América, sendo que 50 são brasileiras, cerca de 12%. Um número relativamente baixo ao potencial do País, que possui um cenário interno ser bem diferente. Segundo dados da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), o agronegócio ocupa a terceira colocação dentre os 45 segmentos monitorados, crescendo 6% nos últimos três anos. Dentro do segmento do agronegócio, 22% tem até um ano de vida e 42% entre quatro e cinco anos.

"No momento, estamos analisando e selecionando os finalistas que participarão do Pitch Final, que acontecerá no âmbito do Congresso Aapresid 2021", comenta Bernardo Milesy, CEO da Glocal. "Estamos muito felizes com os resultados obtidos até o momento. São inscrições de todo o continente americano, cobrindo completamente a cadeia de valor agroalimentar, desde a ciência aplicada na produção de alimentos até o garfo do consumidor", finaliza.

Sobre o "AgriFoodTech Latam 2021"

O programa "AgriFoodTech Latam 2021", da Glocal, tem por objetivo aprimorar a implementação de conceitos inovadores em diferentes estágios das startups. O call to action irá selecionar candidatos e oferecer aos escolhidos uma mentoria e rede de apoio especial durante o decorrer do programa de aceleração.

São esperados finalistas que possam oferecer produtos inovadores e disruptivos para a indústria do agro, cujo modelo de negócios esteja alinhado com políticas de triplo impacto (econômico, ambiental e social); que possuam gestão adequada de dados; que tenham uma equipe de dois ou mais cofinanciadores comprometidos no projeto; e apresente potencial para crescer em escala global.

Empreendedores com um processo de validação apropriado e que tenham o público-alvo definido, assim como os que tiverem produto mínimo viável ou MVP, do inglês Minimum Viable Product, tem um diferencial competitivo.

Fonte: Viveiros

Informa Equipe Portal Guim@online - A gente conecta você!