Veja as sanções que a 'amante' de Putin pode sofrer nos próximos dias

Veja as sanções que a 'amante' de Putin pode sofrer nos próximos dias
Apontada como amante do presidente russo, a ex-ginasta Alina Kabaeva pode ser a próxima a sofrer sanções por conta da guerra com a Ucrânia. Foto: AFP

Opositores russos querem que os Estados Unidos aplique punições à ginasta Alina Kabaeva, de 38 anos

Alina Kabaeva está na mira dos opositores de Vladimir Putin. Apontada como amante do presidente russo, a ex-ginasta pode ser a próxima a sofrer sanções por conta da guerra com a Ucrânia. Isso porque a oposição russa pediu à comunidade internacional que ela seja punida, por ser uma pessoa próxima ao presidente russo.

Os pedidos de sanções contra a suposta amante surgiram depois que os Estados Unidos anunciaram, na última quarta-feira (6/4), mais uma rodada de punições contra pessoas próximas de Putin, como as filhas Maria Putina e Katerina Tikhonovna. Essa é uma forma de retaliação por conta do ataque de civis em Bucha, região de Kiev, na Ucrânia.

As filhas do mandatário da Rússia estão impedidas de operar no sistema financeiro americano. Além disso, segundo informações divulgadas pela Casa Branca, os EUA determinaram o congelamento de qualquer bem que as duas tenham no país norte-americano. A ideia dos opositores de Putin é que Alina seja alvo de medidas semelhantes.

De acordo com os oponentes de Vladimir Putin, Kabaeva mora na Suíça, com o filho, e, por isso, eles pedem que ela seja deportada. De acordo com a agência americana Associated Press, essas sanções contra a suposta amante "ainda são uma opção". Com base em informações de um alto funcionário do governo americano, mais sanções são estudadas contra membros da elite russa, próximos a Putin, e os familiares dele.

Relação a sete chaves, mas nem tanto

O relacionamento entre Vladimir Putin e a ex-ginasta é mantido sob segredo, mas demonstrações de proximidade entre os dois foram percebidas em público. Sorrisos, olhares e conversas amigáveis em eventos de Estado e encontros públicos chegaram a ser registrados.

Putin se divorciou da ex-mulher Ludmila em 2013, após 30 anos de casamento. Anos antes do anúncio da separação, Alina Kabaieva já tinha sido apontada como amante do presidente. Em abril de 2008, um jornal de Moscou chegou a ser fechado por alguns dias após ter mencionado um possível relacionamento entre Putin e a campeã olímpica.

Um ano depois do divórcio, Putin chegou a quebrar o protocolo e revelar que estava apaixonado. Em uma coletiva de imprensa em dezembro de 2014, ele falou que um grande líder europeu perguntou se ele estava apaixonado. "O que você quer dizer?" questionou Putin após a pergunta do amigo. "Você ama alguém?", insistiu o amigo. "Sim", respondeu Putin. O presidente da Rússia ainda contou que esse líder quis saber se o amor era correspondido, e ele afirmou que sim. No entanto, esse tema é tabu para a imprensa russa.

Recentemente, Alina se tornou deputada do Parlamento russo, a Duma. Além disso, também assumiu um alto cargo no conselho de uma estatal de mídia, que apoia a guerra na Ucrânia.

Fonte: EM

Informa Equipe Portal Guim@online - A gente conecta você!