Viagem

Viagem
Pattaya, Tailândia - Imagem Ilustração

Viajando em direção a Ribeirão Preto, sem a necessidade de conduzir o veículo e com um  smartphone em mãos sem conexão na internet meus pensamentos criam asas e anseiam por voar livremente enquanto meu limitado corpo físico aguarda o ponto final de meu destino.

Todavia, a tecnologia me oferece a oportunidade de registrar essa viagem interna que tem como combustível a minha imaginação, sim faço uso do bloco de notas digital, uma das funcionalidades eficazes que um celular oferece desprovido de conexão, enquanto todos demais aplicativos se encontram offline.

Certamente viajando sou levado a pensar na vida, a trajetória da vida se assemelha a uma viagem do ponto A ao ponto B independente da condução que você vai tomar, pois o que realmente importa em primeira instância é o destino.

Ao fazer uma analogia de uma viagem com a trajetória de uma vida ou de uma história de vida me lembro de uma narrativa bacana que meu professor de filosofia nos contou no ambiente de sala de aula.

Segundo ele, certa vez foi fazer uma viagem turística em que havia sido orientado por amigos que era um passeio lindo, com paisagens fenomenais. Empolgado com todas as informações coletadas, ele se planejou e realizou tal viagem.

O intinerario seria feito por ônibus segundo nos narrou. No entanto, ao entrar no ônibus ele fechou as cortinas da janela e literalmente apagou. Acordou já chegando no destino final, desembarcou super entusiasmado para se deparar com tanta beleza encantadora como havia escutado de seus amigos.

Entretanto, a decepção veio velozmente e o atacou lhe proporcionando uma revolta e um sentimento de ter sido engando. Porém, não conteve sua indignação e resolveu abrir o coração para o motorista da excursão.

Então ele disse: "Senhor Motorista estou me sentindo enganado". E o motorista rapidamente o indagou: "O que houve, posso lhe ajudar em algo?" Então ele retrucou: "Me falaram que a viagem era linda, que o lugar era lindo, mas na boa que buraco é esse que vocês nos trouxeram?" E o motorista rapidamente lhe questionou: "Mas, você não percebeu durante a viagem?". Ele sem jeito lhe disse: "Durante?!!! Como, se dormir na viagem toda?". 
Com um sorriso raso no rosto o motorista lhe admoestou: "Meu caro, todos que vêm a esse destino, não viajam focando o destino final, mas em curtir a beleza exuberante que a natureza nos promove neste percurso e pelo visto você perdeu o melhor da viagem enquanto dormia".

Naquele momento meu professor disse ter ficado consternado em saber que havia perdido o espetáculo da viagem. E após nos narrar tal experiência filosofamos por dois horários de aula que sempre que viajo me recordo desta narrativa.

E aqui viajando quero viajar contigo, (mesmo sendo redundante - risos), querido(a) leitor(a), sobre a analogia da trajetória de nossa vida com uma viagem.

Muitos estão focados em chegar no ponto B, no destino final, e não olham pela janela da vida para contemplar a beleza que ela nos proporciona nos mais singelos detalhes.

Estão focados em construir a mansão dos sonhos e perdem a beleza de edificar um abençoado lar.

Fixam no desejo de adquirir muitos bens e esquecem da beleza de se auto amar, de se auto cuidar e acabam enchendo os celeiros e após tal conquista não possuem saúde para desfrutar de todo patrimônio e certamente deixará para outro usufruir ou até mesmo destruir.

Anseiam tanto por ostentar um belo carro importado e não percebem a beleza que há na caminhada ao lado de sua amada na viração do dia.

Buscam diuturnamente o cargo mais elevado na empresa, por promoções que lhe proporcionará poder sobre os demais e deixam passar desaparecido o tempo maravilhoso e fantástico que é curtir ao máximo seus filhos enquanto crescem rapidamente.

Gente igual a gente que decidiu escolher o ponto B e fechar a janela e dormir enquanto a VIDA BELA passa. Enquanto a viajem da vida acontece.

Gente que ama cosias e usa pessoas ao invés de amar pessoas e usar as coisas. Gente que deixou de ver gente como gente e passou a ver, não gente mais, e sim coisa. Gente que escolheu dormir na breve viagem da vida, que ao chegar no destino final poderá ser tomado de uma grande decepção e arrependimento.

E aí e você que tipo de gente você é? Gente que fecha a cortina e dorme ou gente que aprecia a beleza da vida enquanto viaja?

Pense sobre isto e quem sabe essa analogia, esta reflexão te faça acordar.

Ah e por falar em despertar, certamente só eu estou acordado, escrevendo sobre a beleza desta empolgante VIAGEM da vida!!!

Até o destino final e esvaziados de arrependimento ou qualquer indignação.

Deus abençoe a sua viagem!!!

Por Lindomar JS – Teólogo

Informa Equipe Portal Guim@online - A gente conecta você!